28 de October de 2013 |
Por

PROTETOR SOLAR | TUDO SOBRE O MELHOR ANTI-IDADE QUE EXISTE!

protetorsolar

Nossa… Tô em choque! Não acredito que em quase quatro meses de blog ainda não falei sobre protetor solares (na verdade a Ju Rangel já falou de um aqui, eu que estou atrasada!). Como assim?! É meu produto favorito! Simplesmente o melhor anti-idade que existe, é essencial, básico, indispensável! Vou compensar fazendo um intensivão sobre protetores solares, para todas as Queridas ficarem experts no assunto! Vamos lá…

o que são protetores solares?

Substâncias que protegem a pele contra a ação dos raios ultravioleta (UV) do sol. Podem ser químicos, absorvem os raios UV (os mais usados são óxido de zinco e dióxido de titânio), ou físicos, refletem os raios UV. É comum a associação de filtros químicos e físicos para se obter um filtro solar com proteção mais alta.

filtros solares físicos

São filtros solares cujo a proteção solar é feita por partículas derivadas de metais, ou óxidos metálicos, que atuam através de mecanismos ópticos, refletindo ou dispersando os raios solares, ou seja, o produto não é absorvido pela pele (ao contrário dos químicos) ele se mantém na superfície criando uma barreira protetora que reflete os raios solares. Os principais filtros físicos são o óxido de zinco e dióxido de titânio. Atualmente, eles estão disponíveis também em nanopartículas, o que confere uma coloração mais discreta do que a das formulações anteriores, que deixavam a pele com aspecto esbranquiçado ou acobreado.

filtros solares químicos

Já a proteção solar dos filtros químicos é realizada por moléculas que absorvem a radiação ultravioleta impedindo que ela atinja as células da pele. Dependendo da faixa que cada molécula atue, ele será considerado um filtro solar de amplo espectro (atua na faixa do UVA e UVB) ou exclusivo UVA ou UVB. Em geral, os filtros solares comercializáveis contêm mais de uma molécula para atuarem em uma faixa mais ampla. Porém filtros físicos tem uma instabilidade maior, o que significa que eles perdem a capacidade de absorver as radiações ao longo do tempo, por isso é necessário reaplicar algumas vezes o produto na pele para ele continuar fazendo efeito casa seja uma exposição solar prolongada. Esse tipo de filtro, por penetrar na pele, ele pode reagir com ela, levando a reações alérgicas em alguns tipos de pele.

quem deve usar cada tipo?

O protetor físico é legal para peles sensíveis com tendência a alergia, pois suas partículas não penetram na pele, evitando a chance de irritação. Quem não tiver essa restrição, o filtro químico é interessante pois oferece um espectro de proteção mais amplo. Já existem disponíveis no mercado, alguns filtros que combinam proteção física e química, que são excelente e te deixam super protegida!

tipos de raios ultra violetas

A radiação UV faz parte da luz solar. Ao atingir a pele, os raios UV penetram profundamente e desencadeiam reações imediatas como as queimaduras solares, as alergias e bronzeamento. Provocam também, reações tardias, devido ao efeito acumulativo da radiação durante a vida, como envelhecimento cutâneo e em casos mais graves câncer de pele. A radiação UV pode ser subdividida em UVA, UVB e UVC. As frações que atingem a Terra são a UVA e UVB (o UVC é bloqueado pela atmosfera terrestre).

Maior parte do espectro UV que atinge a superfície do planeta é classificada como UVA. Sua intensidade é constante durante todo o ano, atingindo a pele praticamente da mesma forma durante o inverno ou o verão. Além disso, sua intensidade também não varia muito ao longo do dia, sendo pouco maior entre 10 e 16 horas que nos outros horários. Os raios UVA penetram profundamente na pele, sendo a principal responsável pelo fotoenvelhecimento, manchas e predisposição da a pele ao surgimento do câncer.

Em relação a radiação UVB, aproximadamente 90% não chega à superfície da Terra porque é absorvida pela camada de ozônio da atmosfera (Vamos cuidar da camada de Ozônio!). A sua incidência aumenta muito durante o verão, especialmente nos horários entre 10 e 16 horas quando a intensidade dos raios atinge seu máximo. Os raios UVB penetram superficialmente na pele e causam as queimaduras, ardência e vermelhidão.

raios uv

proteção UVA

A metodologia para medir a proteção contra UVA não é tão consolidada quanto a de UVB. Cada país tem o seu, até porque muitos protetores do mercado não protegem contra raios UVA. A forma mais aceita universalmente é pelo PPD (Persistent Pigment Darkening). Ou seja quanto maior o PPD maior a proteção contra raios UVA.  As vezes o PDD vem expressado por um símbolo, a sigla UVA dentro de um círculo. Isso significa que o PPD do protetor solar é pelo menos 1/3 do FPS. Por exemplo, se o FPS do produto é 30, seu PPD é de no mínimo 10. Outra forma usual de indicar o PPD pela sigla PA e sinais de positivo, que significam:

PA+: baixa proteção contra os raio UV-A. PPD entre 2 a 4.

PA++: média proteção contra os UV-A. PPD entre 4 e 8.

PA+++: alta proteção contra os UV-A. PPD maior que 8.

No Brasil, ano passado a ANVISA regulamentou que protetores solares produzidos no país devem conter Fator de Proteção contra os raios UVA – FPUVA e deve ser no mínimo 1/3 do FPS.

proteção UVB

A proteção contra raios UVB é medida pelo Fator de Proteção Solar – FPS (ou SPF- Sun Protection Factor, em inglês) do produto. Ou seja quanto maior o FPS maior a proteção contra raios UVB. Todo filtro solar tem um número que determina o seu FPS. Ele mede o tempo que a pele leva para apresentar sinais de vermelhidão. Por exemplo, quando aplicado um filtro solar com FPS 15, a pele leva 15 vezes mais tempo para ficar vermelha do que se não tivesse usado nada, se for usado um filtro com FPS 30, levará 30 vezes mais tempo para ficar vermelha, e assim por diante.

como e quanto usar?

O FPS e o PPD do seu protetor solar será definido de acordo com seu tipo de pele, para saber qual é indicado para você, o melhor é consultar um dermatologista. Como tenho a pele clara e trabalho em canteiros de obras (áreas externas) uso proteção com FPS acima de 50 e PPD alto, além disso procuro produtos com textura gel ou desenvolvidos para pele oleosa. Outra questão importante é a forma e periodicidade da aplicação. Muitas vezes algumas áreas do rosto são negligenciadas, causando manchas na pele. O protetor tem que ser aplicado uniformemente no rosto (incluindo pálpebras, olheiras, em cima do lábio superior, áreas normalmente esquecidas…), pescoço e colo. Aplico também no dorso das mãos, que estão em contante exposição. A quantidade de produto varia de acordo com cada pessoa e cada produto, mas deve cobrir todas essas regiões uniformemente. A orientação correta de uso é aplicar antes de 20 minutos da exposição e reaplicar a cada 4 horas ou a cada 2 horas em caso sudorese forte ou após banho de piscina/ mar. Protetor solar deve estar na rotina diária de cuidados, não é produto para usar na praia ou só no verão, lembrando que iluminação artificial também emite radiações ultra violetas.

nas embalagens

E ai, o produto que está usando tem a proteção que você precisa? Ao longo da semana, conto para vocês os meus favoritos.

6 Comentários
Categorias: DICAS, PELE

Comments

  1. Karina Bolder says:

    nooossa… amei as dicas
    nunca ficou tão claro as informações da embalagem!!
    vou correr para comprar um protetor, confesso que sou displicente com isso ainda, mas agora me convenceu!

Trackbacks

  1. […] Entenda o rótulo do seu protetor solar! O que é proteção UVB + UVA dentro do círculo? Não sabe, dá uma olhada aqui. […]

  2. […] mais branquinhas vão adorar o fator de proteção UVB de 55 e alta proteção UVA (lembram que explicamos aqui). A alta proteção contra os raios UVA, previne do aparecimento de manchas, rugas e sinais do […]

  3. […] Protetor solar| O mais querido dos produtos: Não tem discussão, protetor solar é a etapa mais importante da rotina de cuidados da pele. Mas você sabe de fato quais são os danos causados pelos raios UVA e UVB? Qual produto é ideal para você? Qual fator de proteção precisa? Desvendamos tudo para vocês! Confira aqui todos os posts sobre protetor solar que fizemos. […]

Speak Your Mind

*