23 de March de 2016 |
Por

MULHERES QUE VIAJAM SOZINHAS!

Viajar

Viajei de ônibus à noite pelo Peru, vivi um terremoto que quase virou o Chile do avesso, andei pelo deserto, me hospedei em hostels dormindo num quarto com outras 12 pessoas, trabalhei em dois hostels, vaguei pelas ruas de cidades estranhas a noite, passei a tarde fazendo fotos numa praia deserta, andei no trilho de trem… tudo isso sozinha. E aqui estou para contar a história e provar que SIM! Nós mulheres podemos e DEVEMOS viajar sozinhas!

Eu conheço mulheres incríveis, mulheres que moram sozinhas, que criam filhos sozinhas, que ascendem na carreira sozinhas, que aprendem sozinhas, que encaram tudo – ou um monte de coisas – sozinhas. Conheço também mulheres que viajam sozinhas, e há pouco mais de um ano decidi tornar-me uma delas! Neste post eu vou contar como foi e como continua sendo minha experiência de viajar sozinha, e fazer coisas que muitas pessoas – e até mesmo eu – julgam super perigosas!

Sempre gostei muito, mas muito mesmo de viajar. Já tive a oportunidade de conhecer várias cidades em 20 países diferentes, trabalhei muitos anos da minha vida sempre vislumbrando a minha próxima viagem. Encontrei uma amiga no caminho que tornou-se além de amiga uma companheira de viagens perfeita.

eu&ma[Com a minha amiga e companheira oficial de viagens no Vaticano, a Má!]

Com ela saracoteei por aí, de Fortaleza à Turquia, passando por Roma, Berlim e Budapeste e as experiências eram sempre 100% perfeitas! Um belo dia ela fez as malas e foi pra Tailândia sozinha, no início fiquei meio assustada pois a gente viajava sempre “sozinhas” mas eu achava que “sozinhas em dupla” era diferente de sozinha sozinha. No fim da história, este foi só o começo pra ela. Depois disso, ela embarcou numa viagem de um ano por vários países, foi do Chile à Austrália sozinha, com excessão das vezes em que encontrava amigos novos e antigos pelo caminho, estava sempre com ela mesma. Isso foi despertando um gigante dentro de mim, comecei a repensar a minha vida e o que eu estava fazendo dela. Aqui neste post eu conto como tudo começou. Foi aí que, inspirada por essa minha amigabarracompanheiradeviagem, eu quebrei o meu cofrinho pedi as contas e me joguei na estrada!

Mochilão no Peru[Numa das viagens de ônibus pelas tortuosas estradas do Peru]

Saí de São Paulo no dia 31 de julho de 2015 com destino à Santiago do Chile. Já estava super acostumada a viajar sozinha dentro do Brasil porque meu trabalho me demandava isso duas ou três vezes por mês. Então até chegar à Santiago eu estava tranquila, como se fosse mais uma viagem. Mas não era. Quando coloquei minha mochila no chão do primeiro hostel no qual passei a noite eu percebi: algo muito intenso estava para começar!

Devo dizer que neste estilo de viagem, onde você se hospeda em hostels, você só fica sozinha se quiser (e tem dias que a gente quer mesmo), pois todo mundo que se hospeda num hostel ao invés de um hotel está aberto a conhecer pessoas novas. Como estão todos na mesma vibe de viagem, seja ela longa ou de férias, você conversa com uma pessoa 40 minutos e já vira amiga de longa data dela! As relações são muito diferentes pois como estamos mais receptivos, sem várias barreiras, julgamentos e bloqueios e às vezes necessitados de companhia e muito interessados em conhecer pessoas tão diferentes, uma amizade sincera e muitas vezes duradoura brota ali mesmo, na mesa do café da manhã! Eu mal posso contar as pessoas sensacionais que eu conheci nessa primeira parte da minha viagem, muitas delas eu levo comigo até hoje bem guardadinhas no coração!

amigos[Um monte de gente diferente e muito interessantes, pessoas incríveis as quais tive o privilégio de conhecer!]

Se você não tem problemas em ficar só e passar um tempo com você mesma, não vai ter nenhuma dificuldade em vagar por aí sem companhia. Eu sempre gostei de ter um tempo pra mim, sempre me senti bem estando sozinha, e durante a viagem aprimorei o meu relacionamento comigo mesma, foi uma delícia! É um momento de autoconhecimento profundo, você descobre facetas suas que ficavam abafadas pela correria do dia-a-dia e se percebe cada vez mais forte, corajosa e capaz! Se você tem dificuldades em ficar muito tempo sozinha mas gostaria que isso mudasse, viajar sozinha seria uma ótima para você!

Segurança:

Dentro do Chile, com excessão do trecho Santiago – Calama (na região do deserto do Atacama) – Santiago, eu fui de cidade em cidade de ônibus! No Peru, a mesmíssima coisa! Aliás, no Peru até esquecida na parada da estrada no meio do nada eu fui! Mas permaneci calma e a solução veio ao meu encontro e tudo deu certo no final! Sou brasileira, paulistana, é da minha natureza ficar sempre “ligada”e prestar atenção em tudo, não é? Infelizmente, somos de um país onde a constante iminência do perigo e da violência nos treina a ter olho nas costas e medo da até da própria sombra. De certa forma isso acaba contando a nosso favor. Uma mulher que venha, por exemplo, da Alemanha, terá que fazer uma mudança interior muito maior para não ser passada pra trás viajando por países onde a segurança não é a característica mais marcante! E acredite: a maior parte das mulheres que eu conheci viajando sozinhas por estes países eram da Europa! Alemãs principalmente! Então, nem mesmo isso as fez parar!

O que eu diria para uma mulher brasileira que vai viajar sozinha, se ela me pedisse um conselho? Fique atenta exatamente como você fica na sua cidade no Brasil, siga a sua intuição (gente, sério, intuição é o aplicativo mais útil que você poderia querer! Leve a sua com você!!) confie cegamente em si mesma e vai. Juro pra você: tem mais gente boa no mundo do que má. Muito, mas muito mais!

Recentemente duas jovens argentinas, Maria e Marina, foram mortas no Equador. A história tomou proporções mundiais e levantou um debate enorme com a famosa culpabilização das vítimas, quando a imprensa passou a questionar o porquê das duas estarem viajando sozinhas (como sozinhas se estavam em duas? Sozinhas significa sem a companhia de um homem??) e acusando-as (mesmo depois de mortas) de terem se exposto ao risco… é aquela velha história né? Ao invés de dizerem: não matem, não estuprem, não agridam, dizem: não vão, não façam, não usem estas roupas… polêmico. Enfim, infelizmente duas jovens tiveram que morrer para que as pessoas passassem a falar sobre o assunto e perceberem que SIM! MULHERES, ASSIM COMO OS HOMENS, PODEM VIAJAR SOZINHAS para onde, como e quando quiserem!

Marina y Maria[Protestos marcaram cidades na América do Sul após o assassinato das jovens argentinas.]

Gente, é simples: o mundo é um lugar perigoso. Você pode ser assaltada e morta na esquina da sua casa, principalmente num país como o Brasil, convenhamos. Independentemente do seu sexo (pelo menos deveria ser assim) se você estiver na Colômbia, vai procurar se informar das regiões perigosas daquele país e vai evitar circular por ali, se você vai para o México, a mesma coisa, para os Estados Unidos, a mesma coisa, para a Europa, Ásia, Austrália, igual! Não importa! Eu ainda sou da opinião que no mundo tem mais gente bacana do que má, mas perigo tem em todo lugar, nuns mais do que noutros mas tem! Se você for deixar de viajar, por exemplo, com medo do perigo… seria mais coerente deixar de sair de casa, ou viajar pro Rio, ou ir a jogos de futebol… e nós não queremos isso não é mesmo? Pelo contrário! Nós queremos sim poder ter a liberdade e a segurança de ir!

Precauções:

durante a viagem eu tomei algumas precauções para me sentir mais segura e deixar a minha família segura. Listo aqui algumas dicas de segurança:

  • seguro saúde. Sem chance viajar (só ou acompanhada) sem um seguro. Eu fiz o meu com a Porto Seguro. Caro, mas vale a pena. Ah! Mandei o voucher do seguro para meus pais por e-mail com uma cópia do meu passaporte;
  • antes de embarcar numa viagem de ônibus, eu mandava fotos das passagens, horários de saída e chegada e os dados da empresa para os meus pais;
  • antes de sair de um destino, eu já havia reservado o hostel da próxima cidade, eu enviava o nome, ou site do hostel para os meus pais por e-mail com a hora aproximada de chegada;
  • ao menor sinal de Wi-fi eu mandava recados dando sinal de vida. Ninguém merece ficar apreensivo por causa das minhas venturas!
  • É importante que as pessoas saibam aonde você está e para onde você vai!

Posso dizer que em momento nenhum eu senti medo ou insegurança num grau preocupante. Tenho certeza que estava o tempo todo prestando atenção em tudo, mas é impressionante como sempre tem gente disposta a te ajudar, orientar, acompanhar…. recebi ajuda de estranhos o tempo todo, em todos os lugares. Fora que a comunidade viajante é enorme e sempre disposta a ajudar e socorrer!

Estou fazendo a mochila de novo e embarco para a Colômbia dia 4 de abril! Feliz e animada, segunda parte da jornada: aí vou eu!!

10 Comentários
Categorias: CONVERSINHA, DICAS

Comments

  1. Ameei o post!! Estou no terceiro colegial, momento de grandes decisões, e a unica coisa que eu consigo pensar é “pq decidir minha vida inteira agora quando eu posso estar indo conhecer o mundo??” Hahaha infelizmente vestibular é a realidade por enquanto, mas planejo poder ir viajar sozinha ou em companhia logo! Alguma dica pra uma iniciante?
    Beijoos e aproveitee muito a Colombia!

    • Oi Ale!!! Eu tenho uma irmã que está na mesma situação que a sua! E ela faz a mesma pergunta! Hehehe
      Fazer uma viagem é uma experiência incrível, mas quando somos bem novas é um pontapé pro amadurecimento sem igual!
      Olha, logo que eu entrei na faculdade, viajei bastante com amigas para o sul do país que na época era o destino do momento! Mas isso já tem alguns anos…. hoje você consegue passagens de avião com preços ridículos para o nordeste, por exemplo! Minha dica é começar por aqui pelo Brasil! Depois você vai alargando os horizontes a medida que vai conhecendo a si mesma e as suas preferências!
      Boa sorte no vestibular!!!

      Um beijo pra você, obrigada pela mensagem!

  2. BIANCA ROSSI says:

    Olaaaa, adorei suas dicas! Breve estarei neste grupo também! Sou agente de viagens e não aguento mais vender os destinos mais lindos do mundo sem ao menos conhece-los! Faça uma ótima viagem, Cartagena é um dos pedacinhos do caribe, lindo lindo! Beijooo

    • Oi Bianca!!! Que tortura!!! ahahaha
      Boa viagem e bem-vinda ao grupo!! Espero que você se divirta muito! Mais do que todas as pessoas as quais você já mandou por aí!
      Obrigada pela mensagem!
      Beijos!

  3. Olá! Adorei o seu texto! Acho incrível mulheres que viajam sozinhas e pretendo entrar para esse grupo em breve! Já morei na Colômbia, caso precise de dicas pode contar comigo!

    • Obaaa!!! Obrigada Natasha! Vou chegar em Cartagena e depois de lá ainda não tenho roteiro definido! Dicas são sempre super vindas! Aceito sim, opa!!
      Junte-se ao grupo! Vai amar! 🙂
      Beijão pra você!

  4. Que lindo teu textooooooo!! Viajei sozinha só uma vez na vida, pra Santiago e por apenas 4 dias. Confesso que sou muito desligada, e por morar em uma cidade pequena e teoricamente segura acabei não levando em conta muitas das precauções que vc falou no post. Mas juro que nas minhas próximas aventuras isso não vai mais acontecer!!!
    Aproveita a Colômbia, é um dos países que ocupam a maior parte do meu coração! Pra onde vc vai lá?

    Bjs!

    • Oi Isadora! Muito obrigada! Fico contente que tenha gostado! Sabe que aprender viajando é uma ótima ideia, né?! Hehehe mas vale a pena prestar atenção e ficar sempre ligada sim! Segurança em primeiro lugar! 🙂
      Chego na Colombia por Cartagena e depois de lá nada definido ainda! Aberta a sugestões! Tem alguma?! rsrsrs
      Beijão!

  5. Amei! Viajar e empoderamento feminino é comigo mesma! Girl power!!!!!!!!!!!!!!!!!

Speak Your Mind

*