30 de October de 2015 |
Por

MOCHILÃO: LARGUEI TUDO E FUI VIAJAR!

Mochilão América do Sul

Oi meninaaaas!! Não, eu não abandonei o Blog para sempre! Aqui estou eu! Eu sei, seu sei, andei um pouco sumida… me perdoem! Hoje eu vou contar pra vocês por onde eu andei, o que eu estava fazendo e quais as novidades!

Há um ano atrás aproximadamente, eu decidi que tornaria um sonho muito muito antigo, realidade: viajar.

Mas não viajar de férias, pois isso eu fazia sempre pelo menos uma vez por ano, já que tinha o meu trabalho, ali, estável, com meu salário e férias remuneradas que me permitiram viajar de férias para lugares incríveis. Eu queria viajar sem data para voltar. Isso mesmo. Simplesmente ir. E depois de um ano com este foco, me planejando emocional e financeiramente eu fui. Peguei minha mochila, câmera fotográfica, um rímel, larguei “tudo” e fui!

Por que eu coloquei o “tudo” entre aspas? Porque eu não sei exatamente o que às vezes a gente chama de tudo. Não tinha um “tudo” para largar. Sou solteira, independente, sem compromissos com outras pessoas ou com uma dívida, ou com um lar, tenho minha família e amigos incríveis (tenho muita sorte nestes dois campos da minha vida) os quais foi sim, muito difícil deixar pra trás, mas o meu “tudo” não estava me fazendo feliz, não estava me completando. Eu queria mais.

Queria, e precisava, de mais do que uma rotina em um trabalho que já não me realizava mais, queria mais do que passar horas no trânsito de São Paulo rodeada por outros milhares de carros, motos e caminhões que assim com eu, contribuíam para aquele caos enlouquecedor, queria mais do que ir ao shopping fazer compras, ao cinema, a restaurantes e bares gastar dinheiro para comer bobagens. Queria mais do que passar a semana esperando o fim de semana chegar. Eu precisava ver o que mais tinha por aí além daquela minha vida, mesmo que aquela minha vida fosse muito boa, muito cômoda e confortável. E aí, eu fui!

Planejei uma viagem pela América do Sul. Primeiro porque eu já fui até para a Turquia e nunca tinha ido aqui, no nosso quintal. Os países da América do Sul têm lugares incríveis para conhecer e nessa situação na qual encontra-se o dólar, vamos combinar que é impossível (ou quase) viajar para Europa ou pros States, né?!

Decidi então começar pelo Chile e ir subindo, desde que comecei a pesquisar, me encantei com alguns lugares, os quais eu queria muito conhecer, como Santiago (uma grande cidade, coração financeiro do país como São Paulo é para o Brasil), San Pedro de Atacama (uma cidade no meio do deserto com paisagens deslumbrantes) e Valparaíso.

Cerro Santa Luzia

[Santiago do Chile, visto do alto]

Santiago do Chile

[A Cordilheira dos Andes emolduram Santiago]

Partindo de San Pedro de Atacama, é possível ir até a Bolívia, visitar o Salar do Uyuni, que é uma formação muito antiga feita simplesmente de sal! Uma incrível imensidão branca de 10.500 km² onde é possível circular de carro e a pé. Esta paisagem foi uma das mais maravilhosas que eu vi na vida! O percurso de 3 dias até chegar no Salar também é surreal, parecia um sonho.

Vale da Lua San Pedro do Atacama

[O maravilhoso visual do Vale da Morte no Atacama]

Lagunas Bolívia

Laguna Colorada

 Bolívia

_MG_3025

Lagunas Bolívia

[No caminho para o Salar do Uyuni, já na Bolívia, paisagens incríveis com animais selvagens e muitas alpacas fofas pelo caminho]

Salar do Uyuni

[O sol nascendo no Salar de Uyuni]

Salar do Uyuni Bolivia

[Aventura no deserto de sal com pessoas muito especiais! Uma chance para adivinhar quem é a louca com a perna pra cima!]

Valparaíso

[Valparaíso no Chile. Um charme de cidade!]

Ao todo eu passei 40 dias no Chile. Para ajudar na economia eu trabalhei como voluntária em dois hostels! Isso é muito comum, encontrei muitas pessoas (incríveis) fazendo o mesmo. Se você tiver curiosidade de saber como funciona, eu fiz isso através do Worldpackers, mas há outros sites como o Helpex e o Workaway onde você se cadastra para encontrar trabalhos ao redor do mundo em troca de hospedagem e às vezes refeição! Foi uma experiência muito rica, recomendo muito!

Depois do Chile eu segui para o Peru. O objetivo era chegar em Machu Picchu, claro! Mas até chegar lá, visitei a linda cidade branca de Arequipa, as ilhas flutuantes de Puno no lado Titicaca e a cidade histórica de Cusco. Tudo isso de ônibus! Uma aventura e tanto!

Machu Picchu

[Cheguei a Machu Picchu!!]

No Peru, enquanto planejava a continuação da viagem, recebi o convite da minha prima que mora na Flórida de ir visitá-la. Depois de dois meses de estrada, com tudo enfiado na mochila, dormindo em hostels e me alimentando um pouco mal, este convite me pareceu irresistível. Seria também uma boa oportunidade para conhecer outras cidades nos Estados Unidos com o mesmo esquema e de quebra voltar à Nova Iorque sempre é uma boa pedida e afinal, ainda estamos falando de América! Não tive dúvidas! Entrei num avião em Lima e aqui estou agora! Na quente e ensolarada Flórida!!

A minha experiência como viajante não acaba aqui! Pelo contrário! É viciante! Deixei algumas coisas para trás mas ganhei tantas outras que é até difícil explicar em palavras!

Conheci pessoas muito, mas muito interessantes, de culturas totalmente diferentes da minha mas que ainda assim revelaram-se amigos maravilhosos. Quando se está vivenciando uma experiência assim, a gente conhece pessoas que estão na mesma sintonia, a saudade de casa e o sentimento de “solidão” que às vezes bate sim, fazem com que os laços formem-se muito mais depressa. As pessoas estão abertas a conhecer você, a deixar você entrar nas suas vidas pela porta da frente, eu que sempre fui uma pessoa um pouco mais reservada, embora bastante extrovertida, adorei o exercício de abrir um pouco a guarda para conhecer as pessoas que estavam ali compartilhando o momento comigo e foi maravilhoso! Posso dizer que ganhei alguns amigos de verdade nesta jornada.

É muito intenso. Muito mesmo. Depois de 10 dias viajando parecia que já havia se passado 2 meses! É muita informação, muita coisa nova, tudo é completamente diferente do que aquilo com o que se está acostumado, então você passa o tempo todo “ligado”! Fora que, por estar sozinha, ficava sempre por minha conta a responsabilidade de estar sempre atenta e segura. É muito bom ir mas é bom estar inteira para contar tudo na volta né bebé?! hehehe

Bom, tinha muitos planos com relação ao Blog. Manter as nossas leitoras informadas sobre os hábitos de beleza nestes dois países que eu visitei mas gente… foi impossível! A dinâmica muda muito, eu não tinha tempo de pensar em nada relacionado à beleza, maquiagem… meus hábitos todos foram pras cucuias! E claro, pele e cabelo sentiram já na segunda semana! Cheguei nos Estados Unidos com tudo bagunçado! Mas em poucos dias, depois de abrir a carteira um pouquinho (hehehe) já estou me recuperando! Pele, peso, cabelos e saúde de modo geral agradecem e mandam um beijo!

Além de não ter “verba” para manter a beleza em dia, o que confesso para vocês que me fez uma falta tremeeeenda, no Chile e no Peru não tem a profusão de produtos de beleza que temos no Brasil, muito menos o que tem aqui nos Estados Unidos! Sério! Há pouquíssimas lojas dedicadas a isto e as que tem, pelamordedeulz! Não sei como a mulherada consegue, é tudo uma fortuna!!! Nos supermercados havia somente aquelas marcas que você não quer comprar, sabe?! E nas farmácias (meu lugar preferido no mundo em casa e aqui na terra do Tio Sam) tampouco havia produtos amados! Quase fiquei doida quando percebi. Aí o jeito foi abstrair mesmo…. Caso contrário, não ia poder curtir a trip, o tempo todo preocupada com o look, não é?! Foi bom também para dar atenção à outras coisas, e me conhecer ainda mais!

O que foi na minha (humilde) Necessaire e que foi usado com amor e parcimônia por ser indispensável:

  • protetor solar (um para o rosto e um para o corpo)
  • hidratante poderoso
  • BBCream
  • cleanser Cetaphil para poder lavar o rosto adequadamente
  • corretivo (usei zero vezes)
  • blush
  • rimel (usei muitas vezes!)
  • dois batons
  • uma sombra
  • dois lápis (um preto outro marrom)
  • lápis de sobrancelha
  • lip balm
  • creme para as mãos

Bom, juntando tudo, na minha casa, na minha antiga vida, eu tinha uma quantidade absurda de produtos de beleza e maquiagens. Usava tudo – mentira, um monte de coisas estavam lá paradas –  e percebi como é possível viver com muito, mas muito menos coisas. Mesmo! Me desfiz de muitas roupas e sapatos para ir viajar, minhas posses cabiam em duas mochilas, uma “grande” com 13 quilos e outra pequena que levava passaporte, câmera, computador e outras pequinesas e foram os 55 dias mais incríveis da minha vida. E eu não precisei de muita coisa além de coragem, disposição e alegria!

Minha jornada está só começando, amo a sensação de liberdade e as possibilidades que agora eu enxergo diante de mim. Tenho muitos planos para meu futuro próximo e mal posso esperar para ver as surpresas que ele me reserva! E quanto ao Blog, estou de volta! Daqui dos States vai ficar mais fácil de continuar escrevendo para vocês e contando as novidades que estão por aqui, mesmo que eu não possa sair comprando tudo o que vejo pela frente como nas minhas últimas férias!

Espero que me perdoem pela ausência e que tenham curtido meu relato! Se quiserem ver algumas fotos da viagem, meu Instagram está cheio delas! e o Insta da MQN continua com o nosso conteúdo de sempre!!

Vai lá ver! por-onde-andas-juju

4 Comentários
Categorias: CONVERSINHA, VIAGEM

Comments

  1. Olá,
    Sou a Raissa, tenho 24 anos moro no Rio de Janeiro e tenho um sonho 🙂
    Estou com planos de largar tudo e sair viajando pelo mundo, mas primeiro tenho que entender melhor como funciona esse esquema, como por exemplo, ter dinheiro para comprar passagens e transporte, já que comida e dormitório seria mais fácil, acredito eu. Rs…
    Ano que vem termino a minha faculdade de administração,
    E atualmente trabalho como secretária, então não tenho muito dinheiro, mas tenho disposição pra correr atrás!
    Quanto dinheiro eu precisaria juntar para iniciar a minha trajetória?
    Gostaria de conhecer o Brasil primeiramente e depois América do sul, Europa, Africa e assim suscetivamente…
    Mas não posso me jogar assim no mundo sem sabar fazer dinheiro para me manter estável.
    Gostaria de sugestões para que eu possa da inicio ao meu plano de vida.

    Grata desde já 😉

    • Oi Raissa! Primeira coisa que eu te digo: é mais fácil do que parece! Eu percebi isso logo no começo. Se você tem disposição como disse…aí melhor ainda!
      Mas devo dizer que é essencial ter calma, planejar, se programar, pesquisar muito e sim, guardar algum dinheiro. Eu diria que é necessário mais ou menos um ano de preparação, dependendo da pessoa.
      Com relação ao dinheiro é muito complicado estabelecer uma quantia, porque são muitas as variáveis, mas se você mora no Rio, onde o custo de vida assim como em São Paulo é caro, vai se surpreender como é possível gastar por mês a mesma quantia ou até menos numa viagem! Tem gente que faz isso com o valor de um carro e tem gente que faz isso com um orçamento de R$50,00 por mês! Sério!
      Eu te digo que mudei muito o meu estilo de vida já meses antes de viajar. Gastos desnecessários, compras, bar, restaurante, cineminha… deixei tudo isso de lado quando pus o foco na viagem, e a vontade de ir era tanta que nem foi assim um sacrifício enorme!

      Em termos práticos te sugiro pesquisar plataformas de turismo colaborativo como o Worldpackers, o Helpex, o Workaway (você troca hospedagem por algumas horas de trabalho em lugares incríveis no Brasil e no mundo). Há vários Blogs sobre nomadismo digital que acho que seriam bem úteis para você começar a pesquisar meios de viajar gastando pouco ou viajar e trabalhar para descolar uma graninha! Procure este termo “nômades digitais” que tem muita gente interessante com experiências diversas para você conhecer.
      Te diria para começar a fazer uma boa pesquisa para encontrar o melhor caminho para você! As possibilidades são muitas! Tem perrengue, não é um conto de fadas mas a vida é assim, não é mesmo?

      Obrigada pela sua mensagem, e muito boa sorte na realização do seu sonho! Estou torcendo! 🙂
      Muitos beijos!

Trackbacks

  1. […] né? Depois de 8 meses fora, todas as pessoas que participaram de alguma forma dessa minha experiência querem saber quais são […]

  2. […] emprego, da minha família, amigos, casa, da vida que eu conhecia e fui viajar sozinha. Conto tudo neste post aqui! Uma das coisas que aprendi e que relacionam-se com este post é que eu sou a minha pior inimiga em […]

Speak Your Mind

*