17 de August de 2016 |
Por

PARA MAMÃES | BLW: INTRODUÇÃO ALIMENTAR SEM PAPINHA

blw (3)

Até alguns meses atrás, dar comida para bebês para mim era sinônimo de aviãozinho, barulhos e historinhas para estimular a criança a comer. Sabe de nada inocente! Comecei  a conversar com a pediatra da Luisa sobre introdução alimentar quando ela tinha quatro meses, a médica me perguntou se já havia pensado em oferecer comidinha picada no lugar da papinha e me deu um material para ler sobre BLW, sigla em inglês para Baby Led Weading

BLW é um método de introdução alimentar criado recentemente pela britânica Gill Rapley, consultora em saúde e autora do livro Baby-led Weaning: Helping Your Baby To Love Good Food, o termo refere-se a uma alimentação sem o uso de colheres, papinhas ou mingaus, na qual o bebê se alimenta sozinho.

Existem vários métodos de introduzir alimentos na dieta do bebê, mas o BLW é o mais popular aqui no EUA (pensa quantas vezes você já viu em filmes e seriados americanos bebezinhos pequeninhos no cadeirão comendo ervilha). É muito simples e foi super eficaz para nós! O nome pode ser complicado, mas na prática é fácil, é deixar o bebê se alimentar sozinho desde o comecinho (self feed), mas o diferencial não para por ai, além disso, o método prevê que a criança comece a se alimentar de pedaços de comida ao invés de pures e papinhas. Nada de processadores, liquidificadores e amassadores de batata… Os alimentos tem que ser bem macios e em pedaços do tamanho de uma ervilha, mais ou menos, não podem ser muito pequenos porque dessa forma dificulta a mastigação. Outra questão importante é que o bebê consiga sentar-se sozinho para adotar esse método.

blw (2)

Segundo Gill Rapley entre as principais vantagens da BLW estão o incentivo à mastigação, que é importantíssimo para seu desenvolvimento motor, e a possibilidade da criança discriminar diferentes sabores e desenvolver preferências desde de cedo. Dessa forma, o bebê vai comer o que quiser e na velocidade que quiser, sem pressão de uma pessoa oferecendo comida. Além disso, sem ser batido ou triturado, o alimento mantém propriedades importantes, como as fibras que podem auxiliar no bom funcionamento intestinal.

Para a Luisa funcionou muito bem, mas não dei comida em pedados desde do início, porque não me senti segura. Por mais que a médica tenha me explicado que bebês tem uma “válvula de proteção” contra engasgos, ou seja eles mesmo se desengasgam sozinhos, e também qualquer tipo de alimento pode causar engasgos, mesmo líquidos como leite e pastosos como papinha, enfim, temos que fazer o que nos deixa segura. Me senti mais a vontade começando por comidinhas amassadas, um a um, para saber o que ela gostava. Porém ela sempre se alimentou com as mãos mesmo quando comia as pastinhas. Comecei a introduzir alimentos aos 6 meses, 1 mês de frutinhas, em seguida, vegetais. Com o passar do tempo, fui amassando menos a comida, até começar com pedacinhos, que foi com 7 meses e meio, mais ou menos, se você está se perguntando os dentinhos dela começara, a nascer com 11 meses.

blw (1)

Não sei se os pediatras do Brasil seguem essa diretriz, mas outra coisa interessante, que não sabia sobre alimentação de bebês, é que aqui nos EUA, os médicos “liberam” os bebês a partir dos 10 meses para seguir a dieta da família, ou seja, sem restrições alimentares, desde que a dieta seja balanceada, claro. Há alguns anos atrás, alguns tipos de temperos e alimentos alergênicos, como frutos dos mar, amendoim, ovo, deviam ser evitados até mais tarde, mas atualmente os estudos mostram que quanto antes a criança for exposta a esses alimentos, menores as chances de desenvolver alergias ou menos severos serão os efeitos. Para minha surpresa, o único alimento que a médica vetou até um ano (e mesmo depois, com moderação), foi mel, pois é um alimento que muito susceptível a proliferação da bactéria Clostridium botulinum, responsável por causar botulismo infantil. Isso foi ótimo, e super prático, sentamos em família e comemos as mesmas coisas, além disso, passamos a ter uma dieta mais saudável por isso.

Em resumo, é tudo muito simples. Você só precisa de um bebê com fome, de preferência sem roupinhas porque ele vai se lambuzar inteiro, comida picadinha e algum tipo de pet para comer a comida que cair, se não tiver, pode substituir por panos de chão. Para compensar o trabalho que você não vai ter dando a comida, você vai ter que limpar a bagunça que vai ficar o chão, ok?! Nada vem de graça nessa vida! Para ajudar, é bom ter um prato raso e grande para espalhar a comida sem cair tanto para fora e outro detalhe importante é a altura do cadeirão, que deve estar posicionado de forma que o bebê tenha visão do prato inteiro.

Além dos benefícios que já citei, percebo como o BLW, está ajudando a Luisa desenvolver a coordenação motora fina, conhecer diferentes texturas, cores, tamanhos, formatos e temperaturas e principalmente se interessar por uma grande variedade de alimentos. Para mim também é super prático porque podemos comer juntas, não preciso dar para ela e depois (se der) comer, sem contar que também me poupa daquela neura de não saber se estou dando muito ou pouca comida para ela, já que ela come o quanto quer. Percebo que ela está satisfeita quando ela empurra o prato ou começa a dar para os cachorros., é engraçado!

blw (6)

o que mudou com o tempo?

  • Brincando ou comendo: No começo, a Luisa mais brincava do que comia de fato, tinha que dar uma ajudinha. Com 8 meses mais ou menos, ela começou a comer sozinha mesmo, precisa ter paciência e não apressar o bebê.
  • Interesse pela colher: Sempre deixei uma colherzinha por perto caso ela se interessasse, o que não aconteceu até recentemente (ela acabou de fazer um ano), agora vira e mexe ela pega a colher. Ela consegue colocar a colher/garfo na boca, mas ainda não consegue pegar a comida, então ela pega com a mão coloca no garfo e depois na boca, engraçadíssimo!
  • Tamanho das comidas: Agora que ela já está maiorzinha, nem pico mais alguns alimentos, como brócolis e couve flor, ela já consegue morde-los, além disso, corto alguns alimentos em formato de palitos, fica mais fácil dela manusear e morder pedaços.

blw (5)

Antes de tomar a decisão de como introduzir alimentos na dieta do seu bebê CONVERSE COM SEU PEDIATRA! Estou apenas dividindo minha experiência com o BLW, que para minha filha funcionou muito bem. Lembrando que as refeições devem ser SEMPRE supervisionadas mesmo que o bebê consiga comer sozinho. 

vamos as compras!

A Luisa claramente tem preferências já, mas tento variar ao máximo a alimentação dela. Além disso, nunca deixo de oferecer algum alimento para ela porque eu não gosto, ela come várias coisas que não são minhas preferidas. E para manter o interesse dela em vários alimentos diferentes, sempre vamos juntas ao mercado, ela manuseia os alimentos crus, mostro o preparo para ela sempre que possível, e agora que ela está maior, vou tentar evolvê-la nos preparos.

blw (91)

Bom apetite babys!

22 Comentários
Categorias: CONVERSINHA, para mamães

Comments

  1. Luisa dando comida para oa cachorros é a melhor foto! S2

  2. Meu filho tem 4 anos e rejeita a maioria dos vegetais, será que essa técnica pode ajudá-lo a caitar melhor esse tipo de alimento?

    • Laura acho que não! O blw é um método de introdução alimentar, acredito que não seja o melhor para seu filho que já tem 4 anos. Converse melhor com seu pediatra.

  3. Sua filha é uma fofuuuuura!!!!! ❤️❤️❤️

  4. Minha bebê está com 7 meses e nesse 1 mês desde a IA não quis comer NADA.
    Ontem dei mamão cortado em palitos, com casca e tudo e ela adorou. Adorei o metodo sem nem saber que existia! Já está na pauta da próxima consulta!

    • Mas é isso mesmo Thalita, muita gente faz sem nem saber que tem esse nome todo pomposo! O método é bem simples e eficaz! Espero que continue funcionando! Beijos

  5. Li bastante sobre introdução alimentar, mas agora que está chegando a hora estou completamente perdida!

    • É assim mesmo Julia! Duvidas de mãe…acontece comigo toda hora. Parece que quanto mais me preparo mais dificil é na hora. Rs

  6. Tenho uma dúvida. .. nas papas salgadas os ingredientes seriam misturados, o que faria com que o bebê recebesse os nutrientes necessários. .. com o BLW ofereceria para o bebê vários legumes também nas refeições, desde a primeira oferta? Ou o correto seria mostrar um legume por vez?

    • Debira, como nos outros métodos de IA, deve ser feita uma de cada vez, devido a possibilidade de alergias. Depois pode-se misturar vários legumes e carnes.

  7. Eu acho esse método muito interessante e gostaria muito que minha bebê tivesse essa experiência, mas ela já estará frequentando o berçário aos 6 meses e acho difícil adotar esse método lá. Será que eu posso utilizar esse método em casa mesmo assim?

    • Acho que não há problema em mesclar dois métodos. Converse com sei pediata e com a creche, de repende eles podem adotar o blw lá também.

  8. Existem evidências científicas sobre este novo método? Foram realizados estudos com rigor metodológico e bem delineados que comprovem/discutam sua validade, relevância e importância?

    • Brenda não sei te responder, converse melhor com seu pediatra. O que eu sei é que realmente é um método novo, que está sendo amolamentte adotado na Inglaterra, Nova Zelandia e EUA.

  9. Qual tipo de receita pode usar no blw? Obriga

    • Qualquer uma. Não há limitações de receitas por causa do método. Eu procuro balancear e variar bastante. Sempre incluo uma porção de proteína, carboidrato e vegetais. No site do blw que linkei no inicio do post tem algumas sugestões de receitas de quiser algumas ideias.

  10. Vontade de morder essas bochechas!!!!!! Que linda!!

  11. Adorei! Meu filho rejeita legumes sólidos. So os come em sopa. Se soubesse que desde bebê pudesse oferecer assim os alimentos, tvz ele gostasse hoje. Vou repassar a dica!

  12. Será que posso tentar com meu filho que já tem um ano e meio e só come com minha ajuda?

    • Sim, claro! Converse melhor xom seu pediatra, mas acho uma boa alternativa para deixa lo mais interessado pelos alimentos.

Speak Your Mind

*